Header Ads

Após goleada no Centenário, chilenos e uruguaios continuam se provocando

Alexis Sánchez encara Coates, contido por Vargas Uruguai x Chile (Foto: AP Photo/Victor R. Caivano)
Dentro do gramado do Centenário deu-se tudo em clima de relativa paz: um empurrão aqui, um bate-boca ali, mas nada que se aproximasse do clima de guerra previsto pela mídia de Uruguai e Chile antes do duelo entre as duas seleções pelas eliminatórias sul-americanas da Copa do Mundo de 2018, na noite de terça-feira. A Celeste venceu por 3 a 0 e escalou ao segundo lugar, com nove pontos. O Chile caiu para quinto, com sete.


Nas redes sociais, porém, as provocações continuaram. Primeiro, o atacante chileno Alexis Sánchez chamou os uruguaios de maus perdedores.

- Há que saber ganhar e perder, e eu falo quando perco e falo quando ganho. O que incomoda é que ex-jogadores de futebol uruguaios e atuais e outros que eu não conheço falam sem reconhecer quando perdem, e isso incomoda. Hoje perdemos, e eu dou os parabéns, porque sei perder. Aqui se despede o atual campeão da América - escreveu em sua conta no Instagram, postando junto uma foto da comemoração chilena com a taça da Copa América.

O volante uruguaio Álvaro González, que ontem não jogou porque estava machucado, foi às redes para fazer piada com os chilenos.

- Para que os chilenos não percam a viagem, sugiro que visitem o Museu da Torre das Homenagens - escreveu o jogador do Lazio no Twitter, em referência ao museu que fica no Estádio Centenário, onde o Chile nunca conseguiu vencer o Uruguai: em 26 partidas disputadas desde 1917, empatou sete e perdeu 19.

Até por causa do retrospecto, essa rivalidade é coisa nova no futebol sul-americano. Estourou em junho deste ano, quando o Chile eliminou o Uruguai da Copa América numa partida repleta de polêmicas - a maior delas a dedada do zagueiro Jara em Cavani, que resultou na expulsão do atacante uruguaio.

Jara e Cavani conversam depois de Uruguai x Chile (Foto: Sandro Pereyra/STR)
À direita, Jara e Cavani conversam pacificamente depois de Uruguai x Chile (Foto: Sandro Pereyra/STR)

Mas o reencontro entre os dois foi pacífico. Ao contrário do que se especulou nos dias anteriores ao jogo, Cavani e Jara se cumprimentaram antes e depois. O zagueiro, claro, foi sempre o mais vaiado pelo Centenário e não passou despercebido que uma falta feita por ele sobre Cavani originou o primeiro gol celeste - quando os visitantes dominavam a partida.

Chile e Uruguai voltam se enfrentar daqui a um ano, em novembro de 2016, em Santiago.

Fonte: Por Montevidéu, Uruguai

Alexis Sánchez encara Coates, contido por Vargas, no Uruguai x Chile (Foto: AP/Victor R. Caivano)